Friday, June 22, 2018

610.

 dreams, dust and birds

 
Dreams, dust and birds | 2018 from West Coast on Vimeo.



3 performances que fizeram parte de uma exposição que fechou o primeiro ciclo de eventos em torno das aves e do risco de desaparecimento de algumas espécies. / 27 de Maio, 18h - 22h / Quinta do Ferro, Lisboa
Com a participação de: Álvaro Fonseca, David Janesko, Francisco Pinheiro, Karen Piper, Laura Marques, Marshall Elliott, Nuno Barroso, Paulo Morais.
http://www.west-coast.pt

Saturday, June 2, 2018

609.



demythologize that history and put it to rest
ângela ferreira
márcio carvalho


Palácio da Ajuda, Lisboa na Estátua D. Carlos I
2 de Junho, 2018, 16h

Demythologize That History and Put It to Rest desafia as memórias criadas por estátuas, monumentos, memoriais, nomes de ruas e outros sistemas mnemónicos eurocéntricos implementados nas cidades de Lisboa e Berlim.



SÚPLICA (homenagem a Noémia de Sousa), 2018
ÂNGELA FERREIRA, com leituras de Soraia Tavares

"Uma visita recente ao bairro da Mafalala em Maputo levou-me ao portão da casa onde viveu Noémia de Sousa (Maputo 1926) e desencadeou em mim um desejo de homenagear esta grande poetisa que ainda hoje é reconhecida como a mãe da poesia Moçambicana. Noémia de Sousa nasceu em Maputo a 20 de Setembro de 1926. Foi escritora, militante contra o regime colonial e jornalista. Foi uma das almas políticas e culturais do famoso Bairro da Mafalala. Amava a música de Billie Holliday e a canção ‘Let my people go’ de Paul Robeson. Apesar de profundamente afetada pelo sofrimento dos seus compatriotas Moçambicanos a sua poesia revela sempre a esperança da sua libertação. O seu único livro de poemas Sangue Negro foi publicado pela primeira vez em 2001 pela Associação de Escritores Moçambicanos. Morreu em Cascais a 4 de Dezembro de 2004. A estrutura de metal minimalista construída para servir de palco à leitura dos seus poemas aprisiona o pedestal da estátua de D. Carlos, fazendo com que possamos experimentar uma extensão do pedestal escultórico e permitindo que a voz e as palavras desta mulher Moçambicana - Noémia de Sousa - sejam ditas da mesma altura que a própria estátua, contrariando assim a presença da figura do símbolo do poder colonial." ÂF 





 


UM BAILOUT DE MEMÓRIAS
MÁRCIO CARVALHO
Audio: Cortesia de Elsa Peralta e Projecto “Narratives of loss, war and trauma: Portuguese cultural memory and the end of empire” (ref. IF/01530/2014)

"O espaço público é um arquivo público. Um arquivo que vive no presente, que foi ditado para que todos nós possamos experienciar, formar e avaliar o passado. Em Lisboa e Berlim estátuas, monumentos, nomes de ruas, palácios, jardins tropicais, etc. ostentam um passado cristalizado e dão-nos orientações presentes de como navegar na história hegemónica de seus impérios e como acreditar e perpetuar suas doutrinas. Se olharmos para estátuas como Otto Von Bismarck e Rei Dom Carlos I entendemos que a contextualização das mesmas é vaga e enaltece suas perspectivas de conquista de outros territórios e de seus feitos gloriosos, imperialistas. Diz-se que faz parte da história. Uma história mal contada, onde o Victor observa todos nós de cima - nós que vivemos nestas cidades, nós que as formamos, nós (ou grande parte de nós) que aparentamos ser invisíveis face às grandiosas narrativas. Mas nós também nos recordamos. Ao que parece a memória não é apenas uma actividade cerebral, nem tão pouco é um repositório fixo de informação. A memória como arquivo é uma metáfora, e como todas as metáforas, apesar de formarem a realidade não deixam de ser uma relação de semelhança, uma comparação abreviada, uma analogia. Este trabalho usa memórias autobiográficas de pessoas reais para recontextualizar a estátua de Dom Carlos I e sua ideologia do ultramar, usa a elasticidade particular do que chamamos “memória” para reconsolidar as grandiosas memórias imperiais e debater suas consequências no presente." MC


[imagem de Ângela Ferreira]

Apoio: Goethe Institut | prohelvetia | Senate Department for Culture and Europe, Berlin

Friday, June 1, 2018

608.


sabotagem
diogo bolota


2 de Junho, 17h:30
In ECO (DA IDEIA À OBRA DE ARTE), curadoria da turma da Pós-graduação em Curadoria de Arte da Universidade Nova de Lisboa

Em 2015, no âmbito da programação d’A Expedição, Sabotagem foi apresentada no Porto, no espaço A Ilha dos Maus Hábitos, situado na garagem do Passos Manuel.
Três anos depois, a performance repete-se este sábado, 2 de Junho. Pela primeira vez em Lisboa, Sabotagem é apresentada na exposição coletiva ECO (DA IDEIA À OBRA DE ARTE), a convite dos alunos da Pós-graduação em Curadoria de Arte da Universidade Nova de Lisboa. A inauguração está marcada para as 16:00 e o momento da transformação para as 17:30.
Sabotagem de Diogo Bolota, com a participação de Carlos Gaspar, é uma escultura sem tempo, alvo de uma transformação que podia sempre regressar ao seu ponto inicial. A escultura poderia mesmo assumir uma outra configuração que não aquela em que é efetivamente transformada.
Trata-se de um jogo entre os actos de erguer e de desfazer – sempre com a intenção de voltar a construir e não de destruir –, cuja ligação entre os dois momentos está na dança da linha e do plano.

[imagem de bruno lopes]

GALERIA LIMINARE
03 JUNHO - 08 SETEMBRO 2018
Alameda das Linhas de Torres, 156
1750-149 Lisboa
+351 217 541 350


Thursday, May 24, 2018

607.

estivemos temporariamente offline, mas estamos de volta! | we were temporarily offline, but we are back!


Monday, February 19, 2018

606.

call for papers [pt | eng]:

colóquio internacional 
intimidade e performance
international colloquium 
performing intimacy

 http://ceh.ilch.uminho.pt/eventos_show.php?a=317


Universidade do Minho, Guimarães, 4 a 5 de outubro de 2018 | Minho University, Guimarães, Portugal, 4th and 5th of October 2018

Saturday, December 9, 2017

604.




andré guedes
novo dia
, 2017

no âmbito da exposição 'A Sexta Parte do Mundo' / ciclo COSMO/POLÍTICA
Museu do Neo-Realismo, Vila Franca de Xira
9 de Dezembro 2017 – 13 de Maio 2018

Durante a exposição a obra será activada com a leitura dos textos incluídos no caderno por pessoas nascidas ou residentes no concelho de Vila Franca de Xira nos seguintes dias: 9 de Dezembro 2017 (inauguração da exposição), 27 de Janeiro e 28 de Abril 2018.

"Na Sala de Arte Contemporânea, a instalação Novo Dia de André Guedes reflete sobre o sentido de utopia e de mudança. Ela resulta de uma investigação sobre referências associadas ao acervo do museu, à história do passado e do presente e a lugares, situações e contextos reais da paisagem cultural, social e económica de Vila Franca de Xira. Produzida especificamente para o MNR, a obra consiste numa estrutura semi-cenográfica, que se a nível formal sugere uma arquitectura imaginada com formas geométricas coloridas de feição construtivista, na realidade evoca o desenho mural do edifício da central de operações da CIMPOR em Alhandra, deslocando-o simbolicamente para o espaço expositivo. Para além desta evocação, André Guedes convoca Soeiro Pereira Gomes, autor neo-realista e também antigo funcionário da empresa, reunindo num caderno disponibilizado ao público textos por ele produzidos na clandestinidade. Durante o período da exposição, esta obra será activada em momentos de leitura partilhada desses mesmos textos por pessoas naturais ou residentes na região. Nesse sentido, tanto o caderno como as leituras revelam a dimensão performativa da peça, funcionando como dispositivos para tornar presentes a palavra escrita e dita, dando uma outra forma de uso, conhecimento e circulação aos registos documentais." SVJ / PLB



+ info sobre a exposição
www.museudoneorealismo.pt/frontoffice/pages/1367?event_id=9605

Thursday, December 7, 2017

603.




variações performáticas sobre antónio


Ricardo Seiça Salgado “Variações em António Menor”
Susana Chiocca “que anda a procurar”
Antonio Lago “Quero é viver”

Casa das Caldeiras
7 de dezembro, 18h
Rua Padre António Vieira
Entrada Gratuita

+info: https://www.facebook.com/events/894149737425078/

[imagens da performance BITCHO de susana chiocca]

Saturday, November 25, 2017

602.



paulo mendes
exit[no]exit
empty cube

uma instalação - performance
25 de novembro de 2017
apresentação única hoje na Appleton Square 

A apresentação da instalação entre as 22:30h e as 23:00h.
A entrada é livre mas sujeita a reserva e à lotação da sala, limitada ao máximo de 70 pessoas.
A Appleton Square abrirá as suas portas no dia 25 pelas 22:00h e será necessário confirmar a sua presença no próprio local até às 22:15h.

email para reserva > exitnoexit.emptycube@gmail.com
ou pelos telefones >
João Silvério 919379652 | Paulo Mendes 936396964
Appleton Square > 210993660
Rua Acácio Paiva 27 r/c 1700-004 Lisboa

Wednesday, November 8, 2017

601.



performance | workshop MATERIAL PERFORMATIVITY
com Pia Euro (Aalto University) e Rita Castro Neves (FBAUP)
13 e 16 NOV 2017, 9:30-13:30
FBAUP
Org: SINTOMA | i2ADS

Material performativity é uma oficina de performance enquanto forma artística.
Esta oficina de dois dias foca-se nos processos de criação de trabalhos performativos no campo das artes plásticas, estudando as possibilidades de utilizar práticas performativas enquanto metodologia para criação de trabalhos. A performance tornada simultaneamente numa ferramenta de descoberta prática e uma forma de processar, e assim se interligando o resultado (da performance) e o processo (da performance).
Desta forma, a oficina investigará possibilidades de processar e desenvolver uma peça performativa, da ideia até à materialização da obra artística, lançando mão dos conhecimentos e tácticas da arte contemporânea.

+ info: http://www.fba.up.pt/2017/11/06/material-performativity/

Thursday, October 26, 2017

600.

joão pedro vale + nuno alexandre ferreira
BOA NOITE











performance com Diogo Bento + música de Jibóia
a partir de "Palhaço Rico Fode Palhaço Pobre"
19 outubro de 2017
Género na Arte - Corpo Sexualidade Identidade Resistência
MNAC Museu do Chiado

imagens de Alípio Padilha

Wednesday, September 20, 2017

599.

no âmbito da programação do projecto ORBITAL um conjunto de acções com curadoria de paulo mendes acontecem no museu nacional soares dos reis dia 23 de setembro com a participação de mariana caló e francisco queimadela, hugo de almeida pinho, antónio olaio, pedro bandeira, pedro machado costa e guilherme blanc.


“A whole history remains to be written of spaces – which would at the same time be the history of powers (both these terms in the plural) – from the great strategies of geo-politics to the little tactics of the habitat, institutional architecture from the classroom to the design of hospitals, passing via economic and political installations.”
Michel Foucault, The Eye of Power
 


_17h 
mariana caló e francisco queimadela: "habitantes de habitantes"
de 23 de setembro a 22 de outubro no horário de funcionamento do museu nacional soares dos reis

_18h e 19h INTERruptor
programa de performances originais criadas para apresentação dia 23 de setembro num contexto site-specific em duas salas do museu nacional soares dos reis


hugo de almeida pinho _ 18h00 _ "le (faux) mouvement"
Composição sonora com a colaboração dos STURQEN (César Rodrigues e David Arantes)
Convocando uma visibilidade diferida, rítmica e intersticial sobre o corpo, a performmance Le (faux) Mouvement parte de uma reflexão trans-temporal e vestigial sobre os arquétipos da representação artística e prosaica do corpo, intervindo criticamente sobre as relações entre a imobilidade da pose e a decomposição do movimento, a auto-referencialidade dinâmica da performance art, ou o controlo da experiência corporal pela arquitectura.


antónio olaio _ 19h00 _ "DESTERRADO"

Partindo de “O Desterrado” de Soares dos Reis, em performance, António Olaio acrescenta a sua presença a esta escultura e às que lhe estão vizinhas neste museu. Eco da nudez do Desterrado, aparece demasiado vestido, decididamente overdressed no seu fraque. O título da performance sugere o próprio artista como desterrado e, através dele, a possibilidade de todos poderem experienciar essa condição. Tratando-se de arte, a questão será: de que território estaremos apartados?


_20h JANTAR-CONFERÊNCIA PERFORMATIVO
A (DES)CONSTRUÇÃO CRÍTICA DA CIDADE: pedro bandeira, pedro machado costa e guilherme blanc
um jantar a realizar na sala de exposições temporárias do museu nacional soares dos reis com apresentação de comunicações e em diálogo com pedro bandeira, pedro machado costa e guilherme blanc, entre outros convidados e ainda com a participação dos artistas antónio olaio, hugo de almeida pinho, mariana caló e francisco queimadela estando a moderação a cargo de paulo mendes.
durante a conversa é servido o jantar.
jantar limitado ao máximo de 50 pessoas sendo necessário fazer reserva, que está sujeita ao pagamento de 15€.
+ informações e reservas: tm 916088659 ou pelo email portoartfestorbital@gmail.com



Pedro Bandeira, é arquitecto (FAUP, 1996), investigador (LAB 2PT) e professor Associado na Escola de Arquitectura da Universiade do Minho. 
Integrou a exposição Metaflux na representação portuguesa na Bienal de Arquitectura de Veneza (2004) e representou Portugal na Bienal de Arquitectura de São Paulo (2005). Participou na exposição Portugal Now: Country Positions in Architecture and Urbanism (2007) organizada pela Escola de Arquitectura, Arte e Planeamento da Universidade de Cornell (EUA). 
É autor de: Projectos Específicos para um Cliente Genérico (Porto: Dafne Editora, 2006); Escola do Porto Lado B (1868-1978)(Lisboa/Guimarães: Documenta/CIAJG, 2014) – Prémio de Crítica e Ensaística de Arquitectura AICA 2015; e mais recentemente de Arcosanti 2012 (Porto: Circo de Ideias, 2017). 


Pedro Machado Costa, é arquitecto [FAUP, 1996] e investigador [ISCTE / Dinâmia].
O seu trabalho tem sido divulgada em inúmeras exposições, conferências e publicações, nacionais e internacionais, destacando-se a Bienal de Arquitectura de Veneza ou a Bienal Ibero-Americana de Arquitectura e Urbanismo, tendo exposto no Institut Valenciá d’Art Modern, na Hartell Gallery [Ithaca, NY], no Boijmans van Beuningen Museum [Rotterdam] ou na Architectural Association [London], entre outros.
A sua obra foi reconhecida por vários prémios, incluindo as nomeações para o Prémio Mies van der Rohe e para o Prémio Secil. Em 2017, é-lhe atribuído o Prémio AICA Arquitectura, pela Associação Internacional dos Críticos de Arte.



Guilherme Blanc, é licenciado em Direito na UP e Mestre (MA) em ‘Cultural Policy and Management’ pela City University London, grau concluído em 2010 com Distinção. Leccionou em diferentes cursos de licenciatura e pós-graduacão em Política Cultural, e trabalhou como curador independente de cinema, em colaboração com instituições como o Institute for Contemporary Arts (ICA), Whitechapel Gallery ou Barbican Center. Em 2012 integrou a equipa de Fundraising do Barbican Center e em finais de 2013 foi convidado para a posição de Adjunto do Vereador da Cultura na Câmara do Porto. Atualmente é Adjunto do Presidente da Câmara para a Cultura.



>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Porto Art Fest : ORBITAL
um programa de arte, performance e cinema para a cidade do Porto

A Cooperativa Árvore em co-produção com o Museu Nacional Soares dos Reis apresentam a terceira edição do programa PORTO ART FEST, que a partir desta edição terá a designação de ORBITAL.
Entre 27 de Julho a 22 de Outubro diversas actividades vão decorrer nos espaços destas instituições num evento que se pretende inclusivo e pertinente para a cidade do Porto.
A programação do PORTO ART FEST : ORBITAL integra propostas para todas as idades e contempla diferentes áreas, desde as artes visuais, às performances, ao cinema, aos vários projectos de mediação, das conversas às oficinas, até à instalação e ao jantar-conferência performativo.
A edição deste ano toma como ponto de partida temático a ideia de CIDADE relacionando-a com os assuntos que acompanham a discussão quotidiana da concepção do espaço urbano que habitamos e criando uma ponte temática com a exposição actualmente presente no Museu Nacional Soares dos Reis, Cidade Global, Lisboa no Renascimento.
Com esta designação pretende-se reforçar a ideia de movimento, de órbita entre lugares, de algo singular e fora da esfera habitual daquilo que é apresentado ao público e de circulação entre a Cooperativa Árvore e o Museu Nacional Soares dos Reis. Um evento que transita entre várias áreas disciplinares e que pretende abranger públicos diversos dentro da dinâmica cultural da cidade do Porto.

_
CONTACTOS_
> ORBITAL _ produção
portoartfestorbital@gmail.com ou 916088659
_
> site do projecto _ http://www.portoartfest-orbital.com/
> https://www.facebook.com/Porto-Art-Fest-Orbital-150341884…/…

Museu Nacional de Soares dos Reis / MNSR
Rua de Dom Manuel II, 44
4050-342 PORTO
Telefone + 351 223 393 770
Horário: terça a domingo das 10h00 às 18h00
Encerrado às segundas-feiras

_

Porto Art Fest : ORBITAL
Promotor: Árvore - Cooperativa de Atividades Artísticas
Co-produção: Árvore - Cooperativa de Atividades Artísticas e Museu Nacional Soares dos Reis
Programação de Artes Visuais, Performativas e Cinema: Paulo Mendes
Programação Educativa: Lara Soares
Gestão de Projecto e Produção: Patrícia Caveiro
Design gráfico: Joana Pestana + Paulo Mendes
Apoio técnico: Sonoscopia
Registo Documental: Rui Pinheiro (fotografia)
Rui Manuel Vieira (vídeo)
Apoio: Porto.
Parceiros: Medeia filmes, Árvore restaurante, Talkie-Walkie

Saturday, July 15, 2017

598.

 
them or us!

hoje
15 de julho, a partir das 16h
galeria municipal do porto

16h
visita comentada à exposição pelo curador Paulo Mendes
performance de Hugo de Almeida Pinho, intitulada "Poem to Extinguish"
activação da obra "Confessional", de Erwin Wurm, por António Lago e Joclécio Azevedo. 

18h
concerto "Haarvöl on remote places", Auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett (BMAG).
Haarvöl, um projeto musical português criado em 2012, abrange elementos sonoros eletrónicos e analógicos e conjuga-os com um espetáculo de componente visual, criando assim paisagens cinemáticas com sonoridades experimentais e drone.

+info:
http://www.porto.pt/noticias/performances-e-concerto-animam-visita-comentada-a-exposicao-them-or-us

Monday, July 10, 2017

597.


curso de especialização em performance
da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto

Candidaturas 2017/2018: Cursos de Especialização | nível pós-graduado, não conferente de grau
30 de Junho a 19 de Julho de 2017


Objetivos do curso
Criar condições e dar ferramentas para a realização de objetos performativos inovadores alicerçados numa investigação aprofundada e atentos ao contexto espacial, histórico e sócio comunitários em que são criados e apresentados.
Desenvolver pensamento interdisciplinar alicerçado numa curiosidade intelectual, técnica, histórica e estética sobre práticas performativas contemporâneas diversificadas.
Pensar a(s) história(s) da performance e seus temas fraturantes, bem como momentos e autores importantes das artes performativas contemporâneas.

Condições de Acesso
As/Os candidatos deverão:
- Ser titulares do grau de licenciado ou equivalente legal nas áreas das Artes Plásticas, Artes Visuais, Belas Artes, Teatro, Dança, Música, Arquitetura, Design, Literatura, História da Arte, Ensino das Artes Visuais, Ensino da Música e outras áreas afins de interesse para o âmbito de ação do curso;
- Ou serem detentores de um currículo artístico, científico, académico ou profissional relevante e reconhecido pela equipa científica, como propiciador de condições de realização deste curso de especialização.
- Ler, exprimir-se oralmente e compreender aulas ministradas em língua inglesa.
- Analisar criticamente questões específicas ligadas à prática artística de índole performativa, à sua apresentação, documentação e relação com os seus públicos.

Vagas: 20
 (o curso funcionará com um mínimo de 10 inscrições)
Propina: 1 000 €

Candidaturas e informações:
Serviços Académicos – Gabinete de Pós-Graduação
E-mail - posgraduacao@fba.up.pt

Telefone: 225192412 


Atendimento presencial 
Segunda, Quarta e Sexta: 10h00 / 12h00 - 14h00 / 16h00
Terça e Quinta: 10h00 / 12h00 - 14h00 / 18h00 

Atendimento telefónico: 
Segunda a sexta: 14h00 / 17h00



[imagem: Afinal: Apresentações Finais do Curso de Especialização em Performance, 2016_17 FBAUP, Melissa Rodrigues e Colectivo Chá das Pretas na Rosa Imunda. Foto: Vera Carmo]

Friday, June 16, 2017

596.



afinal
performances dos estudantes do curso de especialização em performance FBAUP
domingo, 18 junho
16h30
Espaço Campanhã + Rosa Imunda
Porto

arquivo de imagens aqui